app de videoconferência

Guia rápido para escolher um app de videoconferência

Nesta altura da pandemia do coronavírus, pode-se dizer que todo mundo – de todas as faixas etárias – participou de pelo menos uma videochamada. Apesar dos benefícios dos apps de videochamadas, também há algumas consequências indesejadas. Graças ao Zoombombing, percebemos que nossas tentativas rápidas de adaptação muitas vezes sacrificam nossa segurança.

Com o aumento constante da necessidade de conectar-se através de vídeo e a introdução de novas ferramentas, é importante estar atento para não cair em armadilhas comuns de segurança e privacidade.

Este guia oferece um resumo das ferramentas de vídeo mais populares para lhe ajudar a escolher quais aplicativos de vídeo são melhores para você.

Como avaliar a segurança e privacidade dos apps de videoconferência

Um dos critérios mais importantes para avaliar a privacidade de uma plataforma de videoconferência é a criptografia de ponta a ponta. Quando ela é implementada, a comunicação é criptografada pelo remetente, para que nenhum terceiro possa decifrar os dados enviados ou armazenados. O que é dito ou compartilhado em vídeo é apenas para os olhos e ouvidos dos destinatários legítimos. Um fator que é muito importante para quem está fazendo videoconferências de comunicação corporativa.

Também é fundamental descobrir se o desenvolvedor da ferramenta coleta ou armazena informações pessoais, e se este for o caso, o que é feito com essas informações. Por exemplo, você quer saber se os dados estão sendo vendidos para terceiros ou anunciantes. Os desenvolvedores devem agir de acordo com os regulamentos de privacidade em vigor, como o RGPD/GPPR europeu e a Lei de Privacidade do Consumidor da Califórnia. Além disso, verifique se o anfitrião da videochamada pode coletar ou armazenar suas informações pessoais.

Como escolher apps de videoconferência para o trabalho remoto

Zoom

Apesar dos diversos problemas de privacidade relatados pela mídia, o Zoom ainda é um dos apps de vídeo mais populares.  Ele é gratuito, você não precisa baixar nenhum software e tem suporte para conversas com até 100 participantes. Apesar dos esforços do Zoom para resolver problemas recentes, os problemas de segurança e privacidade continuam. Se você usa a ferramenta, certifique-se de seguir algumas etapas recomendadas para ter mais segurança.

Skype

Para muitos de nós, o Skype já foi a ferramenta favorita de videochamadas. De propriedade da Microsoft desde 2011, temos o Skype for Business (disponível até 31 de julho de 2021), que oferece suporte para grupos grandes e uma versão gratuita para até 50 pessoas. Os anfitriões precisam ter uma conta (convidados não) e têm controle de acesso à videochamada. Apesar das sessões serem criptografadas, protegendo os usuários de potenciais espionagens, elas são criptografadas apenas entre o dispositivo dos usuários e os servidores da Microsoft. Portanto, tecnicamente, a Microsoft pode acessar todas as suas comunicações. Existem outras vulnerabilidades de segurança que podem ser mitigadas utilizando, por exemplo, uma VPN e certificando-se de que o Skype esteja sempre atualizado.

Google Meet

A Google acaba de anunciar que seu serviço de videoconferência, o Google Meet (anteriormente Hangouts Meet) agora é gratuito para todos os usuários com uma conta Google. Por enquanto, a versão gratuita tem suporte para chamadas com até 100 pessoas, por tempo indeterminado, mas isso deve mudar em outubro. O Meet oferece as mesmas proteções que a Google geralmente garantes com relação à privacidade. Os dados do usuário e as reuniões em vídeo são criptografados em trânsito e a ferramenta oferece recursos antiabuso padrão para segurança adicional.

Microsoft Teams

Os usuários do Office 365 podem fazer videoconferência através do Microsoft Teams (o substituto do Skype for Business) com até 250 membros e fazer apresentações ao vivo para até 10.000 pessoas. Em termos de privacidade, a Microsoft afirma que os dados do Teams não são utilizados para servir anúncios, não monitora a atenção dos usuários e que todos os dados são excluídos ao final da assinatura. Os anfitriões podem gerenciar quem participa e quem tem acesso às informações da reunião. Além disso, a Microsoft afirma que “nós criptografamos os dados em trânsito e localmente, armazenando seus dados em um rede segura de datacenters e usando Secure Real-time Transport Protocol (SRTP) para vídeo, áudio e compartilhamento de tela.”

Como escolher apps para se conectar com amigos e familiares

FaceTime

Se todo mundo com quem você precisa conversar tem um dispositivo Apple, o Facetime vale a pena, especialmente pela privacidade. O app utiliza criptografia de ponta a ponta e, de acordo com a política da Apple, ninguém pode ver suas conversas.

Houseparty

Outro que tem chamado muita atenção ultimamente (parcialmente, devido a boatos de uma violação de segurança), o Houseparty oferece recursos divertidos para conversas casuais. Oferecendo um pouco de segurança, como a habilidade de trancar salas para bloquear penetras, sua política de privacidade ainda deixa muitas brechas para a empresa coletar diversos dados pessoais. Os usuários podem proteger um pouco de sua privacidade, ativando o modo privado e desativando o rastreamento de localização nas configurações.

Jitsi Meet

Uma plataforma grátis e open source, o Jitsi Meet oferece uma maneira fácil de conectar-se com até 75 participantes. Os usuários não precisam baixar nada para configurar uma videochamada e os convidados recebem um URL para participar. Entre os recursos de segurança estão o uso de senha para evitar convidados indesejados e, em termos de privacidade, as videochamadas são protegidas com criptografia hop-by-hop. Isso significa que tudo que é enviado para o servidor é criptografado e depois descriptografado no servidor, e posteriormente criptografado novamente, sendo então enviado para os participantes do vídeo. Somente aqueles que fazem a manutenção do servidor poderiam espionar.

Facebook Messenger Rooms

Recém lançado, o Messenger Rooms permite que qualquer pessoa com uma conta Facebook crie uma reunião de vídeo e convide outras pessoas para participar, mesmo quem não está no Facebook. O criador da sala controla quem entra, seja abrindo uma sala para seus amigos no Facebook ou enviando convites específicos. As salas podem ser fechadas para evitar acesso de pessoas indesejadas e eventualmente poderão congregar até 50 participantes, sem limite de tempo. Criado com base no Messenger, o app de vídeo não é criptografado ponta a ponta, e o Rooms coleta dados dos usuários conectados via app ou através de uma conta.

Independentemente do app de vídeo que decidir usar, veja quais são os recursos de privacidade disponíveis nas configurações e sempre certifique-se de estar usando a versão mais atualizada, de modo a garantir que esteja protegido pelos patches de segurança mais recentes. Uma maneira fácil de gerenciar sua segurança e privacidade é com o Avira Free Security, uma ferramenta completa que inclui antivírus, VPN gratuita, atualizador de software e mais.

Este artigo também está disponível em: InglêsAlemãoFrancêsEspanholItaliano