Dados e a Dark Web: Quanto valem os seus dados pessoais?

Com o aumento da popularidade de serviços online como bancos, streaming, compras e similares, não é de se surpreender que os crimes cibernéticos também estejam crescendo. E existe um lugar mais fácil de se comprar coisas ilegais como drogas, armas, contas roubadas e informações do que na Dark Web? Graças ao Tor, criminosos conseguem fazer seus negócios ilegais sem risco de serem pegos ou punidos.

Mais quais dados são vendidos na Dark Web e quanto eles valem? Para responder essas perguntas, vamos utilizar o recém-publicado índice de preços da Dark Web montado por um estudo feito pelo PrivacyAffairs.com. Desde dados de cartões de crédito até logins do PayPal e passaportes falsos – há um pouco de tudo à venda.

Preços na Dark Web para contas do PayPal, contas de redes sociais e cartões de créditos

Uma olhada no índice de preços da Dark Web do PrivacyAffairs pode dar uma boa ideia do que acontece após uma violação de dados. A informação vazada coletada de vários hackeamentos pode ser encontrada à venda por lá, muitas vezes por preços bem baixos. O índice revela, por exemplo:

  • Um cartão de crédito clonado, com senha, está disponível por US$ 15-35 
  • Dados de cartão de crédito custam entre US$ 12-65, dependendo do saldo da conta bancária 

De acordo com o site, eles oferecem uma taxa de sucesso de 80% para os cartões, o que significa que apenas 2 de 10 cartões não funcionam ou não têm o saldo especificado.

Imagem cortesia do PrivacyAffairs

Além de dados de cartão de crédito, também é possível comprar logins do PayPal e de redes sociais:

  • Contas do PayPal custam entre US$ 150-320, dependendo do crédito disponível 
  • Uma conta do Facebook custa US$ 75 
  • Uma conta do Gmail custa US$ 155
  • 1.000 seguidores e curtas em várias plataformas de mídia social (Twitter, Tik-Tok, Instagram, etc.) custam entre US$ 2-15

Sabendo que curtidas estão sendo compradas e vendidas, você deve começar a pensar duas vezes antes de botar muita fé nos grandes números de curtidas e seguidores que uma conta de mídia social tem, incluindo as de influenciadores.

Malware à venda

Infelizmente, dados pessoais, cartões de crédito e contas de redes sociais não são as únicas coisas à venda na Dark Web. Como é possível ver, há malware disponível também. Quem compra malware, faz isso para instalar em sistemas comprometidos e usar para atividades como mineração de criptomoedas ou obter detalhes de contas.

O preço do malware na Dark Web depende do país alvo e da qualidade do malware. Os preços começam na casa de US$ 70 e podem chegar até US$ 6.000, mas independentemente do custo, parece que há sempre um retorno de investimento positivo para os criminosos. De acordo com o PrivacyAffairs, um hacker consegue roubar milhares de dólares a cada 1.000 instalações.

Três dicas para proteger você e suas contas

Como você pode ver, é cada vez mais importante que você defenda e proteja sua vida online, da mesma forma que faz com sua vida offline. Pode parecer uma missão impossível, mas com o software certo e seguindo algumas regras, não é tão difícil. Seguem três dicas simples que podem ajudar a manter você e seus dados livre de hackers:

  1. Nunca passe informações confidenciais para estranhos por e-mail ou telefone. Funcionários de empresas conceituadas jamais pedirão senhas, números de cartão de crédito ou informações similares.
  2. Evite redes Wi-Fi inseguras e públicas. Se você ainda quer ou precisa usar uma, é melhor conectar via VPN e seguir nosso guia sobre o assunto.
  3. Use um gerenciador de senhas. Ele vai ajudar a criar senhas seguras para cada uma de suas contas, além de armazená-las, para que você não esqueça nunca mais.

Este artigo também está disponível em: InglêsAlemãoFrancêsEspanholItaliano